A origem do Projeto Jari
>

O empreendimento que ficou conhecido como Projeto Jari teve início em 1967. Antevendo a explosão da demanda por celulose no mundo, o magnata americano Daniel Ludwig conseguiu autorização do governo brasileiro para explorar uma imensa área de floresta na região amazônica. As terras se destinariam ao plantio de uma espécie de árvore própria para a produção de celulose, à instalação da fábrica e de uma usina termoelétrica e a toda a estrutura logística que se considerou necessária para tirar a região do isolamento. Foram abertas estradas e ferrovias e construídos porto aeroporto e vilas operárias. As unidades fabris vieram rebocadas por mar do Japão até o rio Jari, na Vila Munguba, aonde chegou em 1979.

A inadaptação do projeto às condições da floresta e os prejuízos crescentes levaram o magnata, em 1981, a repassar o empreendimento a um grupo de empresários brasileiros. Eles também não conseguiram encontrar uma solução equilibrada para os graves problemas sociais e ambientais que passaram a dominar o Vale do Jari. Em 2000, após dois anos de negociação, o BNDES transferiu para o empresário Sergio Amoroso, presidente do atual Grupo Orsa, a administração dos ativos então existentes, sob o compromisso de quitar a dívida com o grupo de credores e tratar o passivo econômico, social e ambiental da região de forma conjunta.
 

Vale do Jari